Acupuntura estimula o corpo em tratamento de diversas doenças

Noticia publicada no Jornal da Manha.

Karla Chebel destaca que na gestação a acupuntura alivia depressão, náuseas, azia, insônia e dores nas costas

Estudos vêm demonstrando resultados positivos da acupuntura no controle e tratamento de doenças. Isto porque a técnica, que trabalha com estímulos em determinadas regiões do corpo através da aplicação de agulhas especiais, obtém respostas que agem diretamente no sistema nervoso. As agulhas disparam impulsos que viajam pela rede nervosa até provocar reações no cérebro.

A fisioterapeuta estética Karla Chebel explica que esse mecanismo é imediato, pois, ao interferir diretamente no cérebro, obtém efeitos mais duradouros. “A técnica atua sobre a musculatura, ajudando-a a relaxar, e incita na medula a produção de substâncias que inibem a passagem dos impulsos dolorosos. No cérebro, a acupuntura induz à liberação de neurotransmissores com função analgésica e de bem-estar”, esclarece.

Recente experiência, realizada na Universidade Kyung Hee, na Coreia do Sul, com ratos que sofreram lesões na coluna vertebral, demonstra que os animais submetidos à acupuntura se recuperaram mais rapidamente e voltaram a andar mais cedo do que aqueles submetidos a outros tipos de tratamento. “Além disso, a acupuntura coibiu inflamações e impediu a destruição progressiva de células nervosas da coluna. É esse poder anti-inflamatório, aliás, que garante à terapia lugar de destaque no combate à asma e às mais diversas dores crônicas. Outra virtude da técnica é equilibrar as emoções, como a ansiedade e o desânimo, e reforçar o tratamento contra vícios. Ao modular a ação da dopamina, um neurotransmissor ligado ao prazer, o método ajuda a suprir a necessidade da droga. As agulhas auxiliam até mesmo a reduzir a compulsão por comida, sendo coadjuvante no tratamento da obesidade”, alerta Karla.

Na Inglaterra, segundo a fisioterapeuta estética, equipe da Universidade de York acaba de exibir, por meio de imagens de ressonância magnética, que uma espetada da fina agulha de acupuntura em um ponto da mão reduz a atividade de áreas do cérebro que regem a percepção da dor. “Durante a gestação, a acupuntura alivia a depressão e minimiza as náuseas, a azia, a insônia e as dores nas costas. Porém, a acupuntura é indicada a pessoas de todas as idades como tratamento complementar ou para o alívio de alergia, asma, dor de cabeça e nas costas, doenças das articulações, hipertensão, fibromialgia, dores musculares, gastrite e refluxo, síndrome do intestino irritável, constipação, tensão pré-menstrual e menopausa, endometriose, depressão e ansiedade, gravidez, sequelas de derrame, doenças da pele, insônia, distúrbios hormonais e efeitos colaterais da quimioterapia”, completa Karla Chebel.

Noticia disponível em http://www.jmonline.com.br/novo/?noticias,7,SAUDE,93908

TPM

A famosa e temida Tensão Pré-menstrual esta presente na vida de milhares de mulheres, e, frequentemente tem inicio após a ovulação. Como eu já disse no post sobre o ciclo menstrual, após a ovulação, entramos num período de introspecção, e começa então o descompasso. Nosso corpo pede um momento de calma e recolhimento e o que temos é uma superestimulação do córtex visual com imagens de televisão, computador, outdoors, recebendo de todos os lados informações que devem ser processadas. Alem disso, nosso organismo vem sendo carregado de agrotóxicos, hormônios, medicações e pílulas anticoncepcionais que devem ser metabolizados pelo fígado, que é o principal órgão que sofre com essa desarmonia. Todos esses excessos solicitam energia Yang do fígado, que o leva ao desequilíbrio e nos traz os sintomas da TPM, que incluem a depressão, irritabilidade, edema (inchaço), obstrução do peito, dores de cabeça, sensação de bola na garganta, angustia, aumento de peso e cansaço.

104803531253617203967

Nestes dias em que nosso corpo não se mostra adequado as atividades e necessidades da vida externa, a energia é retida, e fica estagnada (parada), por isso nos sentimos mal.

Quando uma mulher permite que o recolhimento e a pausa ocorram, a TPM é sensivelmente menor, o que pode ser visto em períodos de ferias.

TPM

Na Medicina Tradicional Chinesa, o tratamento da TPM tem como objetivo fazer com que a energia volte a circular, eliminando a estagnação, e drenar o excesso de líquidos, reduzindo edemas, dores e o mal estar. Alem da acupuntura, podem usadas as ervas chinesas e algumas recomendações, que são:

  • Repousar, escutar musica e meditar
  • Praticar atividades físicas suaves como caminhadas e ioga
  • Evitar relações sexuais neste periodo.

doctor-berger-infografico-tpm-705x1024

Por Rafaela Moura Santos

Acupuntura no tratamento da depressão

Uma matéria publicada no site Pauta Incorporativa mostrou que um recente estudo realizado pela Universidade de Fudan, na China, em parceria com o Institute of Acupuncture Research apontou que a acupuntura tem efeito antidepressivo, estimulando as células tronco-cerebrais.

Uma nova pesquisa de laboratório revelou que a acupuntura tem efeitos antidepressivos. Um exame das células cerebrais após tratamentos de acupuntura, descobriu importantes mecanismos pelos quais a acupuntura exerce seus efeitos antidepressivos. O método milenar da medicina tradicional chinesa regulou a atividade das células do cérebro associada com resultados terapêuticos, segundo revelou o estudo realizado pelo Institute of Acupuncture Research em parceria com a Faculdade Médica de Shangai, da Universidade de Fudan, na China.

Os pesquisadores descobriram que a acupuntura apresenta efeitos regulatórios sobre células especiais cerebrais no hipocampo, chamadas células progenitoras neurais (NPS). Estas células contribuem para a manutenção do cérebro e da medula espinhal. A função principal das NPS é a substituição de células danificadas ou mortas.

ELETRO-ACUPUNTURA
O estudo citou ainda várias outras pesquisas que mostram “que a acupuntura é um remédio eficaz para a depressão e pode ser tão eficaz quanto antidepressivos.” Eles também observam que eletro-acupuntura aumenta a neurogênese no hipocampo como fazer ISRS (inibidores da recaptação da serotonina), uma classe de medicamentos antidepressivos.

O foco deste novo estudo foi mapear os mecanismos celulares e bioquímicos precisos, responsáveis pelos efeitos antidepressivos da eletro-acupuntura. Pesquisas anteriores mostram que a eletro-acupuntura restaura a proliferação de NPs no cérebro quando prejudicada pela depressão.

Os pesquisadores demonstraram que os comportamentos induziram ao estresse crônico associado à depressão e ansiedade no grupo de ratos pesquisados, o que causou a morte de diversas células progenitoras neurais (NPS).

Segundo explica o Dr. Márcio De Luna, acupunturista há 30 anos e coordenador do programa de pós-graduação em acupuntura do Instituto Brasileiro de Medicina Tradicional Chinesa, “a eletro-acupuntura alivia comportamentos depressivos e de ansiedade – como os provocados nos ratos, evitando a morte de células progenitoras neurais, que são um tipo de células-tronco cerebrais, ajudando na recuperação e na preservação dessas mesmas células no hipocampo”.
“Os pesquisadores observam que estes resultados são consistentes com outras pesquisas que demonstram que a eletro-acupuntura promove a neurogênese em diferentes regiões do cérebro”, conclui Luna, que atende em Copacabana, no Rio de Janeiro.

OS PONTOS UTILIZADOS
Os pontos de acupuntura utilizados no estudo têm muitas indicações para o uso na Medicina Tradicional Chinesa (MTC ). Neste estudo em específico, o ponto de acupuntura DU20 (Bai hui) é um ponto no ápice do crânio que traz inúmeros benefícios para o cérebro. Tradicionalmente, ele funciona para aguçar os sentidos, acalmar o espírito, regular a energia de polaridade positiva (chamada Yang em chinês) e equilibrar as funções hepáticas.
Segundo explica Dr. Márcio De Luna, “muitos desses termos exigem uma tradução para os leitores e profissionais da área de saúde modernos. Por exemplo: a expressão “vento de fígado”, na medicina tradicional chinesa, se refere a distúrbios envolvendo convulsões, tremores, movimentos involuntários e outros tipos de desequilíbrios neurológicos e musculoesqueléticos”.

Para Luna, esse e outros pontos de acupuntura combinados com os recursos da medicina ocidental podem ser fundamentais para o alívio do stress, dores de cabeça, zumbido, vertigem, congestão nasal, esquecimentos, distúrbios mentais e neurológicos, entre outros.

________________________________________
DR. MÁRCIO DE LUNA é especialista em acupuntura há 30 anos e fisioterapeuta, Mestre em Ciência da Motricidade Humana (UCB-RJ) e especialista em Neurociência aplicada à Longevidade (IPUB/UFRJ). Além da acupuntura, trabalha com outros métodos tradicionais chineses, como Shiatsu e Tui Ná, Moxabustão, Laser terapia, plantas medicinais, ortomolecular e magneto terapia.

É presidente da ABA-RJ (Associação Brasileira de Acupuntura do Rio de Janeiro) e também coordenador do Programa de pós-graduação em acupuntura e shiatsu em nível de especialização do IBMTC (Instituto Brasileiro de Medicina Tradicional Chinesa).

Durante sua trajetória, foi aluno do Professor Dr. Friedrich Johann Spaeth, o Introdutor da Acupuntura no Brasil e fundador da ABA. Em algumas ocasiões, também teve oportunidade de viajar a China com o objetivo de aprimorar técnicas e conhecimentos e participar de inúmeros seminários com renomados acupunturistas do mundo.

Dr. Márcio De Luna já participou de diversos programas de rádio e televisão comentando sobre a acupuntura, entre eles Programa do Jô e Mais Você (Rede Globo), além de ser fonte em diversas matérias sobre o método milenar da medicina tradicional chinesa.

Atualmente vem se dedicando ao retardamento do envelhecimento, ao tratamento de doenças complexas e ainda sem cura e melhora da performance mental e física, sempre utilizando o recurso da Acupuntura como tratamento principal.

Matéria disponível em http://www.pautas.incorporativa.com.br/a-mostra-release.php?id=24006

 

 

Acupuntura funciona mesmo

De acordo com a Revista Saude, estudos mapeiam seus efeitos no cérebro e revelam seu poder contra as dores e os transtornos emocionais

Se ainda havia algum ocidental desconfiado que, a exemplo de São Tomé, precisava ver para crer o resultado de uma porção de agulhas finíssimas sobre o corpo, ele provavelmente deixará suas suspeitas de lado ao saber o que andam desvendando neurocientistas ao redor do globo. Na Inglaterra, uma equipe da Universidade de York acaba de exibir, por meio de imagens de ressonância magnética, que uma espetada em um ponto da mão reduz a atividade de áreas do cérebro que regem a percepção da dor. Enquanto isso, nos Estados Unidos, um experimento com camundongos da Universidade de Rochester endossa o efeito analgésico da técnica oriental ao provar que ela estimula a liberação de uma molécula, a adenosina, responsável por aliviar o desconforto. São provas, vistas a olho nu ou sob a lente do microscópio, que permitem à ciência deste canto do mundo reconhecer o que os sábios chineses já apregoavam sobre o método que ganha milhões de pacientes no Brasil e no resto do Ocidente.

“A acupuntura trabalha com estímulos em determinadas regiões do corpo que exercem um reflexo sobre outras”, explica a médica acupunturista Angela Tabosa, chefe do Laboratório de Pesquisa Experimental em Acupuntura da Universidade Federal de São Paulo. “Essas respostas são, por sua vez, intermediadas pelo sistema nervoso”, completa. É que as agulhas inseridas disparam impulsos que viajam pela rede nervosa até provocarem reações no cérebro. Esse mecanismo é imediato e, por interferir na massa cinzenta, surte efeitos mais duradouros. “A técnica tem uma ação sobre a musculatura, ajudando-a a relaxar, e incita, na medula, a produção de substâncias que inibem a passagem dos impulsos dolorosos”, conta Dirceu de Lavôr Sales, presidente do Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura. “No cérebro, ela induz a liberação de neurotransmissores com função analgésica e outros por trás da sensação de bem-estar.” Dessa forma, alfinetam as dores, espetam, ou melhor, espantam o estresse e ganham papel de protagonista ou ator coadjuvante no desarme de uma lista de problemas.

Para botar no papel todas as indicações da acupuntura, seria preciso preencher um extenso pergaminho da China antiga. As agulhas, é claro, não são uma panaceia, mas surpreendem até os olhos céticos. Em uma experiência com ratos que sofreram lesões na coluna vertebral da Universidade Kyung Hee, na Coreia do Sul, por exemplo, os animais que foram submetidos às espetadas se recuperaram e voltaram a andar mais cedo do que os bichos livres das picadas. A acupuntura coibiu inflamações e impediu, assim, a destruição progressiva de células nervosas da coluna. É esse poder anti-inflamatório, aliás, que garante à terapia lugar de destaque no combate a asma, dores crônicas…

Outra virtude da técnica é equilibrar as emoções, debelar a ansiedade e o desânimo e reforçar o adeus aos vícios. “Ao modular a ação da dopamina, um neurotransmissor ligado ao prazer, o método ajuda a suprir a necessidade da droga”, explica Angela Tabosa. Nesse sentido, até a obesidade entra na dança. “As agulhas auxiliam a reduzir a compulsão por comida”, afirma a pediatra e acupunturista Márcia Yamamura, coordenadora do Centro de Estudo e Pesquisa da Medicina Chinesa, em São Paulo.

As picadas prestam serviço a todas as idades e se revelam generosas às gestantes. Um trabalho da Universidade Stanford, nos Estados Unidos, aponta que elas aliviam a depressão durante a gravidez. “É uma forma de estimular o organismo a fabricar neurotransmissores como a serotonina, em baixa no distúrbio”, explica Dirceu Sales. “Na gestação, a acupuntura também minimiza as náuseas, a azia, a insônia e as dores nas costas”, enumera o médico acupunturista João Bosco Guerreiro da Silva, da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, no interior paulista.

Mesmo quem não guarda no ventre uma criança ou está são e salvo de doenças pode tirar proveito das agulhas. “O ideal é que elas fossem usadas de modo preventivo, afastando um problema antes de ele se manifestar”, opina Angela. Como abafam o estresse, também derrubam o risco de ficar de cama. A garantia de tanto benefício depende, vale frisar, de um terapeuta qualificado. “É um tratamento que deve ser ministrado apenas por médicos e dentistas, que conhecem anatomia e têm capacidade de fazer diagnóstico”, avisa Sales. “A acupuntura só é contraindicada quando o profissional não sabe usá-la ou desconhece recursos terapêuticos melhores para o paciente, permitindo, assim, a postergação de problemas que podem ser fatais”, alerta Ruy Tanigawa, presidente da Associação Médica Brasileira de Acupuntura. Do contrário, está liberada para entrar em cena, isto é, na sua pele.


Aplicações com o aval da medicina ocidental

• alergia
• asma
• dor de cabeça
• dor nas costas
• doenças das articulações
• hipertensão
• fibromialgia
• dores musculares
• gastrite e refluxo
• síndrome do intestino irritável
• constipação
• tensão pré-menstrual e menopausa
• depressão e ansiedade
• gravidez
• sequelas de derrame
• doenças da pele
• obesidade
• endometriose
• insônia
• distúrbios hormonais
• efeitos colaterais da quimioterapia


Para todos os gostos
Conheça as principais variações do método. Os pontos utilizados são os mesmos, mas nem sempre há necessidade de agulhas

Eletroacupuntura
As agulhas são conectadas a um aparelho que emite correntes elétricas. A ideia é que os estímulos mais intensos possam acelerar a resposta à terapia. A técnica é recomendada no tratamento de dores agudas.

Raio laser
O aparelho é direcionado aos pontos onde seriam inseridas as agulhas. Os terapeutas costumam recorrer a esse método em crianças e no caso de pessoas que têm pavor das espetadas.

Moxabustão
O estímulo é feito por meio do calor, obtido com a queima de uma planta, a artemísia. Pequenos bastões acesos são aproximados das regiões que tradicionalmente receberiam as picadas.

Por sistemas
São as versões que priorizam partes do corpo para conseguir respostas sobre todo o organismo. Entre as mais famosas, estão a auriculopuntura, que usa pontos na orelha, e a craniopuntura, que se vale do couro cabeludo.


Uma técnica, vários usos

No dentista
A acupuntura pode ser requisitada antes ou depois do tratamento dentário, diminuindo o nervosismo ou possíveis dores mais tarde. É coadjuvante no controle de problemas de oclusão.

No esporte
As agulhas são convocadas para minorar dores musculares, ajudar na recuperação das lesões e aperfeiçoar o desempenho do atleta.

Na anestesia
Como tem um efeito sobre a medula, a acupuntura corta, temporariamente, a transmissão dos estímulos dolorosos. Por enquanto, é mais empregada em procedimentos de pequeno porte.

Materia disponivel em http://saude.abril.com.br/edicoes/0326/medicina/acupuntura-funciona-577593.shtml

Acupuntura durante a gravidez

sintomas-gravidez

A acupuntura pode ser uma grande aliada no período de gestação, auxiliando o corpo a se adaptar às transformações e contribuindo para uma melhora global no organismo da mulher.

O tratamento e a escolha dos pontos deve ser adaptada a cada período da gestação e ajuda a reduzir e até mesmo evitar diversos sintomas decorrentes da gravidez, como náuseas e ansiedade, além de amenizar as dores nas costas, uma das maiores queixas das gestantes.

A aplicação das agulhas estimula as terminações nervosas, que enviam mensagens ao cérebro, liberando substâncias analgésicas e desencadeando reações no organismo, como alívio da dor, relaxamento muscular e estimulação das funções imunológicas, entre outras.

O uso da acupuntura durante a gestação é um tratamento complementar seguro e efetivo para os desconfortos da gravidez. No primeiro trimestre, a indicação é voltada para amenizar enjôos, vômitos e dores de cabeça e no final, para dores lombares e insônia e ainda pode ser uma grande aliada no tratamento da azia e gastrite, sem que a gestante tenha que se submeter aos medicamentos convencionais, que podem trazer efeitos colaterais. Alem disso, durante toda a gravidez, ela pode auxiliar a mente, evitando que a gravida sofra de depressão durante a gravidez ou após o parto.

Mas os benefícios podem ir além. Durante as sessões o bebê também é beneficiado, visto que uma gravidez tranquila reflete no desenvolvimento do feto. Na fase do pós-parto, a acupuntura ajuda a reequilibrar as funções do organismo e a produção hormonal. Ainda, como atua no sistema nervoso central e periférico, a técnica é recomendada para casos de depressão pós-parto, que vai agir regularizando a oferta de neurotransmissores como serotonina e noradrenalina, sem os indesejáveis efeitos colaterais de medicamentos.

As sessões de acupuntura devem ser feitas de acordo com a intensidade dos sintomas apresentados. Em geral, variam de uma a duas vezes por semana. Enfim, alem de proporcionar melhor qualidade de vida, diminui a necessidade de medicamentos, colaborando com a saúde do bebe.

acupuntura fertilidade

Por Rafaela Moura Santos

Fibromialgia

fibromialgia

A fibromialgia é uma doença onde a principal característica é a dor muscular crônica, que pode ser acompanhada por rigidez, sensibilidade, fadiga e distúrbios do sono. A dor pode estar presente em diversos locais do corpo, sendo que os mais comuns são pescoço, costas, ombros, cintura pélvica, braços e pernas. Outros sintomas podem estar associados à fibromialgia, como:

  • Depressão
  • Adormecimento ou sensação de formigamento em mãos e pés
  • Dificuldade de concentração e memória debilitada
  • Mudanças de humor
  • Dor no peito
  • Bexiga e intestino irritáveis
  • Dor na face e na cabeça
  • Tontura
  • Ansiedade
  • Períodos menstruais dolorosos

As pessoas que sofrem de fibromialgia relatam dor uma dor profunda, em punhalada, aguda e com sensação de rigidez. O frio úmido, ansiedade, estresse, excesso ou falta de atividade física e falta de sono são fatores que podem piorar a dor.

A fadiga é um ponto muito importante quando se trata da fibromialgia, pois neste caso, ela deve ser entendida como mais do que estar cansado, é um esgotamento que interfere em atividades simples do dia-a-dia. Às vezes pode limitar não só as atividades físicas, mas também as mentais.

A maioria dos pacientes com fibromialgia acordam cansados mesmo que tenham dormido muito, isto acontece porque o distúrbio do sono associado à doença impede que a pessoa atinja o estágio de sono profundo, provocando, durante o sono, espasmos musculares (movimentos involuntários) nas pernas.

Na medicina ocidental, ainda não existe uma causa definida para a doença e nenhum exame laboratorial para diagnosticar a fibromialgia, dependendo, portanto, apenas dos relatos do paciente. De acordo com o Colégio Americano de Reumatologia, algumas regras para o diagnóstico é que dor esteja presente por pelo menos 3 meses e em 11 pontos do corpo, sendo que esta dor é anormalmente sensível ao toque suave e firme.

Pontos de dor

Pontos de dor

A Fibromialgia na Medicina Chinesa

Na Medicina Chinesa, a energia deve fluir pelo corpo por diversos canais, alguns deles são mais profundos e outros mais superficiais, estes se localizam no pequeno espaço entre a pele e os músculos. Este “espaço” é muito importante porque nele é onde circula nossa energia de defesa, que impede a entrada dos fatores causadores de doenças, é produzido o suor e também é onde os poros da pele são regulados. Quando a umidade “invade” este local, ela causa a sensação de dor e rigidez muscular, peso nos membros e fadiga. Como a energia está em movimento e os canais mais superficiais estão ligados aos mais profundos, ela leva o excesso de umidade para outros locais, podendo causar, por exemplo, a estagnação do sangue, que leva à dor intensa.

As causas da fibromialgia na Medicina Chinesa são:

  • Invasão de fatores externos como a umidade ou vento frios
  • Tensão emocional
  • Dieta irregular
  • Trabalho físico excessivo

Quando falamos de umidade, nos referimos ao ambiente muito úmido, permanecer com roupas molhadas ou até mesmo ao excesso de alimentos que levam ao acúmulo de umidade (laticínios por exemplo). O vento causa contração e dor e o frio intensifica a dor. O estresse emocional causado por raiva, culpa, vergonha, medo, preocupação, tristeza ou pesar causam a estagnação da energia afetando os músculos. Em relação à dieta, o excesso de alimentos gordurosos, frituras e laticínios causam o excesso de umidade e consequentemente a fibromialgia; além dos alimentos, os maus hábitos como comer irregularmente, com pressa, tarde da noite, saltar refeições ou comer enquanto trabalha também podem causar acúmulo de umidade no corpo. Já o excesso de trabalho físico faz com que a pessoa gaste sua energia mais que o necessário, enfraquecendo alguns órgãos e suas funções.

Como já foi dito em outras matérias, os diagnósticos na Medicina Chinesa se baseiam em desequilíbrios energéticos, seja por excesso ou falta de energia. No caso da fibromialgia, nos casos em que há excesso a dor é mais intensa, já nos casos de deficiência, a pessoa se sente mais cansada e sofre mais com problemas digestivos e tem pouco apetite.

O Tratamento

1347464968_437962648_1-Clinica-Tao-da-Fertilidade-Medicina-Chinesa-e-Acupuntura-para-os-problemas-da-mulher-Portuguesa

A fibromialgia é um quadro crônico, que requer tempo e paciência no tratamento, que se baseia em eliminar os fatores patogênicos e equilibrar a energia, tonificando as energias enfraquecidas e diminuindo aquelas que estão em excesso. A escolha dos pontos se baseia em ramos: tratar os locais de dor, que variam a cada paciente ou em um mesmo paciente pode variar em diferentes sessões, já que a dor muda de lugar; nestes pontos, as agulhas causam o relaxamento muscular, que leva ao alívio da dor. tratar com pontos energéticos que estão distantes do local da dor para estimular o fluxo normal da energia e tratar as condições do paciente, harmonizando sua energia, principalmente a de defesa, que pode ser relacionada ao que conhecemos como imunidade. Além destes pontos, localizados pelo corpo, também utilizamos a acupuntura auricular e também algumas ervas medicinais. Há casos em que a moxa e as ventosas também são utilizadas.

Com o tratamento da acupuntura, não só a dor será melhorada, mas também as condições emocionais do paciente, dessa forma, ele terá melhores condições de se recuperar e consequentemente, melhor qualidade de vida.

fibromialgia-821041

 

Por Rafaela Moura Santos