Acupuntura no SUS

acupuncture-title

Segundo o site Engeplus a acupuntura esta sendo oferecida pelo SUS em Laguna

Fazer sessões de acupuntura agora é um serviço complementar disponível aos pacientes que utilizam o Serviço Único de Saúde (Sus) em Laguna. Após um credenciamento feito pela Secretaria de Saúde, através do Governo do Estado, usuários têm acesso ao tratamento.

Cada paciente tem direito a 10 sessões, sendo uma vez por semana cada. Mariana afirma que a maioria dos pacientes são encaminhados por psiquiatra, neurologista e psicólogo. “Muitos sofrem com depressão e a acupuntura vem como um tratamento paralelo. Quando o resultado é positivo, o paciente reduz o uso de medicação”, explica.

O tratamento é feito através da penetração da pele por agulhas metálicas muito finas, manipuladas manualmente e que estimulam locais anatômicos. De acordo com Mariana, existem outras formas de manuseio e realização do tratamento, sendo a agulha a mais tradicional. Também é indicado especialmente para tratamento de ansiedade, estresse, dores musculares e nas costas, dores causadas pela fibromialgia e pacientes que fazem quimioterapia.

Atendimento nos postos – A partir de janeiro, as sessões de acupuntura passarão a ser realizadas nos postos de saúde. A primeira foi a unidade do Mar Grosso. Toda segunda-feira, a profissional atende pacientes do bairro. Segundo a fisioterapeuta, serão atendidas cerca de 14 pessoas por unidade. Ao todo, 28 pacientes por semana. Além dos 35 pacientes atendidos na policlínica, também são realizadas sessões domiciliares em quatro pacientes acamados.

O que é – A acupuntura é um conjunto de práticas terapêuticas inspirado nas tradições médicas orientais. Criada há mais de dois milênios, a acupuntura é um dos tratamentos médicos mais antigos do mundo. Consiste na estimulação de locais anatômicos sobre ou na pele – os chamados pontos de acupuntura.

O diagnóstico é feito após o questionamento de diferentes aspectos da vida do paciente e a observação de manifestações físicas como a pulsação, a respiração, cor e aspecto da pele e da língua. Assim que o problema é identificado, o paciente pode ter alguns de seus mais de mil pontos de acupuntura estimulados em diversas e frequentes sessões.

Para que serve – A acupuntura busca a recuperação do organismo como um todo pela indução de processos regenerativos, normalização das funções alteradas, reforço do sistema imunológico e controle da dor. A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera a prática um complemento da medicina moderna.

Nos Estados Unidos, foi recomendado apenas no ano passado pelo Instituto Nacional para a Saúde e Excelência Clínica (NICE) como opção de tratamento para dores nas costas pelo sistema público de saúde do país. No Brasil, a acupuntura é reconhecida como especialidade médica conforme deliberação do Conselho Federal de Medicina e consta na Tabela do Sistema de Informações Ambulatoriais (SAI/SUS) do Ministério da Saúde.

Noticia publicada em http://www.engeplus.com.br/noticia/saude/2014/acupuntura-e-oferecida-pelo-sistema-de-saude-publica-de-laguna/

A procura pela acupuntura cresce 272% no Brasil

De acordo com o Ministério da Saúde a procura por tratamentos realizados pela acupuntura cresceu 272% no Brasil no último ano. O médico acupunturista Márcio Rondinelli afirma que a técnica não é uma terapia mágica. “Como qualquer outro tipo de tratamento, clínico ou cirúrgico, pode proporcionar resultados bons, regulares ou ruins. Em alguns casos, pode diminuir o uso de medicamentos”, diz o médico especialista em dor do Instituto Nacional de Ortopedia e Traumatologia (Into), hospital vinculado ao Ministério da Saúde. Segundo o especialista, pacientes com dor crônica e aguda costumam superlotar as emergências, gerando gastos para o sistema público de saúde. “Sessões de acupuntura podem aliviar estas dores, reduzindo os custos dos serviços de saúde”, afirma.

Os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) podem usufruir das sessões de acupuntura. Para garantir acesso gratuito da população às práticas alternativas, o Ministério da Saúde criou, em 2006, a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) – instaurada conforme a Portaria nº 971, de 3 de maio de 2006.

A política recomenda ações e serviços no SUS para a prevenção, promoção e recuperação da saúde com métodos não convencionais, além de propor o cuidado continuado, humanizado e integral dos pacientes. Fazem parte desses procedimentos a Homeopatia, a Medicina Tradicional Chinesa, como acupuntura, dentre outros.

Com a política nacional, o acesso da população a essas práticas na rede pública de saúde cresceu consideravelmente nos últimos anos. Em 2012, foram realizadas mais de 850 mil sessões de acupuntura. Em 2010, foram 362.100, o que representa um crescimento de 272%. No ano passado, foram aplicados cerca de R$ 1,9 milhão nos atendimentos em acupuntura.

Esse aumento da procura pela acupuntura se deve ao fato do baixo custo, aos resultados comprovados e à inexistência de efeitos colaterias. Em alguns casos, é usada também para o controle dos efeitos colaterais de outros tratamentos como o do câncer; o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo por exemplo, utiliza a acupuntura para o controle náusea e vômitos, boca seca, insônia, ansiedade e dormência de pés e mãos dos pacientes oncológicos.

acupuntura

Por Rafaela Moura Santos